Amy Purdy

 

Amy Purdy tornou-se um ícone para a apresentadora Oprah Winfrey. Aos 19 anos, perdeu as pernas por conta de uma infecção decorrente de uma grave meningite bacteriana. Ficou em coma por duas semanas. Tinha 2% de chance de sobreviver, com estatísticas pouco motivadoras: cerca de 15% das pessoas acometidas pelo problema sanguíneo morrem 24 horas após o aparecimento dos sintomas. Amy superou a doença, mas ficou com sequelas: precisou amputar as duas pernas. No entanto, superado o sofrimento, ela se sentiu despertada espiritualmente.

A experiência é relatada pela americana no livro Por um sentido na vida, lançado este mês no país pela editora Agir. Best- seller do The New York Times, a obra de Purdy chega ao mercado para fazer companhia a outros títulos com enredo parecido — e que, assim como o livro da americana, figuram na lista de mais vendidos. Com narrativa semelhante, o australiano Nick Vujicic, autor de Indomável, tem liderado entre os títulos mais procurados pelo público com o terceiro livro, Superação.

Vujivic nasceu sem os braços e sem as pernas, o que não o impediu de tornar-se um fenômeno editorial com obras que, com enredo focado em seu cotidiano, comprovam a capacidade inesgotável de o ser humano dar a volta por cima. Uma doença grave — um câncer de mama descoberto aos 34 anos — também impulsionou a ex-modelo catarinense Flávia Flores a escrever Quimioterapia e beleza, obra que, apesar de atingir um número menor de títulos vendidos, tornou Flávia uma “musa da internet” onde, hoje, acumula 90 mil seguidores.

Seja o Primeiro a Comentar