Instituto Cáue : Por um Brasil anticapacitista e com justiça social

O Instituto Cáue – Redes de Inclusão nasceu a partir do desejo de incidência política e articulação de ações coletivas em defesa dos direitos das pessoas com deficiência, numa perspectiva interseccional. Suas fundadoras já vinham atuando no setor público e privado nos campos da educação e saúde com foco em direitos humanos e decidiram trabalhar pela denúncia da estrutura capacitista que oprime pessoas com deficiência e no anúncio das transformações por justiça social.
Conheça um pouco mais de nossas entrevistas que são também fundadoras do Instituto:
Érika Pisaneski
Fonoaudióloga com especialização em Desenvolvimento da Linguagem; mestre em Linguística Aplicada aos Estudos da Linguagem (PUC-SP); atuou como terapeuta, pesquisadora e supervisora na PUC-SP (1997 a 2003); é também especialista em Políticas Públicas e Gestão Estratégica da Saúde (ENSP/Fiocruz/MS). Como servidora pública, foi técnica e coordenadora da Política Nacional de Atenção às Pessoas com Deficiência do Ministério da Saúde (2003 a 2011); diretora de Educação em Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) do Ministério da Educação (2011 a 2012). É consultora com atuação junto a movimentos sociais e terceiro setor desde 2013 e militante pelos direitos das pessoas com deficiência.
Mariana Rosa
É mulher com deficiência, jornalista com especialização em Gestão da Comunicação Empresarial. Atua como gestora de Comunicação em empresas há 20 anos. É integrante do Coletivo Feminista Helen Keller, ativista pelos direitos das pessoas com deficiência, pesquisadora no campo da educação inclusiva e dos estudos da deficiência, educadora popular e consultora em educação inclusiva. É também mãe da Alice.

Seja o Primeiro a Comentar