Pesquisadores do Piauí desenvolvem óculos 3D e sistema com inteligência artificial para diagnóstico de Labirintite

Uma equipe de pesquisadores do Laboratório de Neuroinovação Tecnológica & Mapeamento Cerebral (NitLab) da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar) coordenado pelo professor Silmar Teixeira, doutor em Saúde Mental, desenvolveu um óculos em impressão 3D e um sistema com Inteligência Artificial para auxílio diagnóstico das vestibulopatias periféricas, também conhecida como Labirintite.
TÉCNICAS DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
O projeto de uma vídeonistagmografia com um modelo computacional avançado, que utiliza rastreamento do globo ocular por vídeo, associado a técnicas de inteligência artificial, foi resultado do trabalho de defesa de doutorado em 31 de março da aluna Antônia de Maria Rodrigues de Sousa Castro, co-orientado pelo professor Ariel Teles, doutor em Engenharia de Eletricidade. E tem como finalidade contribuir a um diagnóstico com mais rapidez e precisão das doenças que causam tontura, vertigem, desequilíbrio ou zumbido.
Quem fala mais do assunto é Silmar Teixeira, Doutor em saúde mental, e Pós-doutor na UFRJ. Ele atua como professor na UFDPar e é fundador, coordenador e pesquisador do laboratório de neuroinovacão tecnológica e mapeamento cerebral na UFDPar. Atua em pesquisas nos programas de mestrado e doutorado da UFDPar e UFPI desenvolvendo sistemas de auxílio diagnóstico e reabilitação, além da análise da utilização da percepção temporal no tratamento de doenças neurológicas. Confira!

Seja o Primeiro a Comentar